MANIFESTAÇÕES PATOLÓGICAS NAS EDIFICAÇÕES

CURSO: AS PATOLOGIAS DAS EDIFICAÇÕES e suas consequências

Curso completo sobre as manifestações patológicas que surgem nas edificações em função de falhas cometidas no planejamento, projeto, construção, uso, manutenção e reforma, com comentários sobre suas consequências.

São falhas que se cometem por descuido, distração, inexperiência, desconhecimento de materiais, desconhecimento de método construtivo, do regime das chuvas e outros fatores específicos do clima e geologia do Brasil. 

Nos seus mais de 30 anos de vistorias buscando causas de trincas, infiltrações, rompimentos, desmoronamentos e outros sinistros em casas, sobrados, fábricas, prédios, condomínios e até de obras públicas, o engenheiro Roberto Massaru Watanabe tomou contato com um sem número de problemas decorrentes de erros de projeto, falhas construtivas, defeito de materiais e coloca sua vivência profissional à disposição dos profissionais da área através do presente curso. Veja mais detalhes sobre seus trabalhos em .

Veja alguns sites de autoria do Watanabe:

Nos dias de hoje, o mercado da Construção Civil em grande expansão é obrigado a empregar "profissionais" sem o necessário conhecimento e experiência por falta de boas escolas profissionalizantes para profissões como pedreiro, encanador e eletricista, por insuficiência de escolas técnicas e até por deficiências nas faculdades e universidades que não possuem laboratórios atualizados e que empregam professores, que até têm muitos titulos mas, que não possuem a experiência prática necessária para o estudo das patogenias das edificações. Não é difícil encontrar nas faculdades de engenharia brasileiras professores que nunca pisaram num canteiro de obras ministrando matérias relacionadas com a construção.

Não bastasse tais problemas, nossa realidade é pobre em literatura técnica. Descontando as raras excessões publicadas por abnegados profissionais, o pouco disponível não passa de meras traduções de livros feitos para as condições climáticas, ambientais, de solos e materiais diferentes daquelas encontradas no Brasil e não é rara a ocorrência de sinistros que surpreendem justamente pelo desconhecimento dessas condições no Brasil.

Na dificuldade em descobrir a real causa, soluções quaisquer são adotadas mas quando a causa não é resolvida o problema volta a ocorrer, muitas vezes, com maior intensidade. Leigos estão sempre combatendo os efeitos e são raros os casos resolvidos pela solução das causas.

Disso resulta milhares de Processos Judiciais nas Varas Civeis, de proprietários processando construtores, empreiteiros, arquitetos e engenheiros por falhas, vícios e defeitos construtivos, porém muitas dessas ações são injustas, pois se esquecem que há vicios que vem desde a origem das matérias primas e também falhas que ocorrem no processo de fabricação, além, é claro, de eventos de ocorrência acidentais como ventania, tempestades, queda de raios, desarranjo elétrico, etc.

Falhas pessoais são perdoáveis. Descuidos, desatenção, distração e outras falhas poderiam ser tranquilamente resolvidas, a exemplo do que acontece no ramo de automóveis em que a companhaia de seguros paga sem perguntar pois o seguro foi contratado justamente para cobrir justamente a ocorrência dessas falhas.

Que tipos de seguros são oferecidos pelas companhias de seguro? Um êrro de engenharia poderia ter a proteção de um seguro? 

Quando ocorre um desastre como o desmoronamento de um prédio, o rompimento de uma adutora, a queda de um viaduto, quais são as "autoridades" envolvidas? Quais são as atribuições de cada uma delas? Por que o local do desastre precisa ser "preservado" até com força policial se for o caso?

Com a popularização da INTERNET, os "arquivos eletrônicos" se tornaram muito populares substituindo com vantagens os projetos, especificações e relatórios em papel. Na esfera dos Judiciário, já não se aceita mais petições em papel - somente petições digitais. Os laudos técnicos elaborados por Engenheiros-Peritos necessitam ser na forma digital e também com Assinatura Digital.

O que é uma Assinatura Digital? É um desenho da nossa assinatura gráfica? Quem é a ICP-Brasil que cuida de Infraestrutura de Chaves Públicas? O que é uma Assinatura com Certificação da ICP-Brasil?

PÚBLICO ALVO: Profissionais da construção civil como Arquitetos, Engenheiros, Técnico de Edificações, Mestres de Obra, Pedreiros, Encanadores, Eletricistas e também Compradores de Construtoras, Almoxarifes, Zeladores de prédios, Sindicos de Condomínios e Profissionais de Direito que advogam em ações envolvendo conflitos na área da construção, direito de vizinhança e código de defesa do consumidor.

CARGA HORÁRIA = 24 horas - Versão Completa.

ROTEIRO E CONTEÚDO:

HORÁRIO
(típico)
PRIMEIRO DIA SEGUNDO DIA TERCEIRO DIA
8:00 - 8:30 RECEPÇÃO RECEPÇÃO RECEPÇÃO
8:30 - 10:30 PARTE 1: CONHECIMENTO BÁSICO
Desconhecimento de Materiais
O fenômeno da  Lixiviação
Casos de Trincas, Fissuras e Rachaduras
Como funciona uma Tesoura de telhado
Infiltração Lateral - Paredes de Subsolos
Infiltração por Capitalridade - Baldrames
PARTE 5: AS INTEMPÉRIES
Chuva de Condensação X Chuva de Verão
A norma brasileira sobre chuva
Rede de Percolação Sub-superficial;
Escorregamento e Desbarrancamento de Encostas;
Proteção de Taludes - Muros de Arrimo e de Contenção;
Soluções Paliativas para Paredes de Subsolo;
PARTE 9: SEGUROS
Oque é Apolice, Condições Gerais, e outros documentos
Quais são as atribuições do Corretor e da Seguradora
O que é Risco de Engenharia, na visão de seguros
Seguro de Responsabilidade Civil
Responsabilidade Civil Cruzada, em obras
Seguro Habitacional
Inspeção de Risco e Inspeção de Sinistro
10:30 - 10:40 INTERVALO INTERVALO INTERVALO
10:40 - 12:30 PARTE 2: CASOS TÍPICOS
Casos de Deficiência de Insolação - Falta de Sol
Casos de Excesso de Insolação - Sol demais
Juntas de Dilatação Térmica - Carência de normas
Casos de Deficiência de Ventilação Natural
Ventos Predominantes
Caso Subsolo da cidade de Santos
PARTE 6: NORMAS E LEIS
As Leis Naturais - Lei de Newton, Princípios da Mecânica, da Termodinâmica, da Química, etc.
Leis Federais - Constituição e Código Civil
Leis Estaduais - Código Sanitário
Leis Municipais - Código de Edificações - Lei do Zoneamento
Normas da ABNT
Etapas de elaboração de uma norma
A Norma de Desempenho das Edificações
PARTE 10: DEFESA CIVIL
O que caracteriza uma Situação de Emergência
Envolvimento de poderes públicos, órgaos, concessionárias, população
O Sistema de Defesa Civil do Brasil - SINPDEC
Como portar-se durante uma Situação de Emergência
Por que é importante fazer a Preservação do Local?
O trabalho dascompanhias de seguros
Justiça Cível e Código de Defesa do Consumidor
12:30 - 13:30 ALMOÇO ALMOÇO ALMOÇO
13:30 - 15:30 PARTE 3: MANUTENÇÃO PREDIAL
Patologia por Microorganismos e Cupins
Profilaxia de Patogenias
Reação Álcali-Agregado - Elementos de Sacrifício
Pára-raios - Impermeabilidade, terra;
Calhas e Condutores - Cuidados, Pingadeiras
Juntas de Dilatação
PARTE 7: LABORATÓRIO DE PESQUISAS
Ensaios Laboratoriais e em situ
Ensaios de Materiais
Ensaios de Componentes
Portas e Janelas
Certificado de Conformidade
Conhecer o IPT - Instituto de Pesquisas Tecnologicas
PARTE 11: VISTORIA, INSPEÇÃO E PERÍCIA
Quais são as diferenças fundamentais
Modalidades de Vistoria - Vistoria Cautelar, de constatação
Laudo Técnico - Aspectos Legais
Responsabilidades na elaboração de um laudo
Como tirar fotografias analógicas para Laudos
Como tirar fotografias digitais com GPS para Laudos
Ciência da elaboração de Laudos
Assinatura Digital com Certificação da ICP-Brasil
15:30 - 15:40 INTERVALO INTERVALO INTERVALO
15:40 - 17:30 PARTE 4: CONFORTO TÉRMICO
Janelas precisam ventilar
Direção predominante dos ventos
Cheiro de fritura da cozinha impesteia a casa
Pressão do Vento - inundação pela janela
Impermeabilidade do Quadro da Janela - Contramarco
Fixação de Rede de Proteção
PARTE 8: REFORMAS
Critérios para escolha de uma boa empreiteira
Como deve ser um Contrato de Obra
O que é uma Especificação de Serviços
Como deve ser uma Planilha de Quantidades
Como garantir a ordem e a disciplina dos terceirizados
Como deve ser um Orçamento de Construção
Como deve ser feita a fiscalização de uma obra
PARTE 12: RESPONSABILIDADES
Competências do CREA, Prefeitura, Bombeiros,
Defesa Civil, Ministério  Público e outros órgãos
Envolvimento de poderes públicos, órgaos, concessionárias, população
Os intervenientes de uma obra - responsabilidades
Jutiça Civel - Processos de Primeira Instância, Segunda Instancia.
Perito Judicial e Assistentes Técnicos

Os casos apresentados no curso são amplamente ilustrados com fotografias de casos reais, baseados na experiência profissional do engenheiro Roberto Massaru Watanabe, adquirida quando trabalhou nos diversos tipos de atividades de Engenharia como Projeto, Cálculo, Planejamento, Execução de Obra, Acompanhamento de Obra, Fiscalização, Pesquisas Tecnológicas, Vistoria Técnica, Perícias e Assistência Técnica em processos judiciais. 
Ver mais detalhes sobre a experiência do Watanabe em

Curso fartamente ilustrado com mais de 200 fotografias que ilustram os mais variados e curiosos casos, um dos cursos mais completos sobre as Patologias das Edificações e todos eventos, direta ou indiretamente relacionados.

CUSTOS:

Curso: R$ 728,00 por aluno, pagos em duas parcelas, uma na inscrição e outra na data da primeira aula. Inclui apostila.
Estacionamento: Não incluído.
Almoços e cafés: Não incluídos.
Para cursos fechados (empresas, construtoras, imobiliárias, CREA, Associação de Profissionais, Sindicatos, etc.) enviar email para roberto@ebanataw.com.br O roteiro programático poderá ser montado em conjunto em função do público alvo selecionado (calculistas, construtores, fiscais, peritos, seguradoras, etc.)
Recibo: Será fornecido um recibo tipo RPA (Recibo de Pagamento a Autônomo).

PRÓXIMAS TURMAS: Atualmente, não há cursos programados.


PEDIDO DE AVISO DE ABERTURA DE NOVA TURMA

Olá, Roberto Watanabe:

Meu nome é

minha profissão é

estou interessado no curso As Patologias das Edificações e gostaria de ser avisado quando houver abertura de novas turmas. Favor enviar o aviso para:

EMAIL: repetir o email:

se possível, gostaria de participar do curso na cidade de .

Minha preferência é para:
Curso dentro da semana no horário de expediente, por exemplo: Terça, Quarta e Quinta-feira das 8:30 às 17:30 horas;
Curso no final de semana, por exemplo: Sexta, Sábado e Domingo das 8:30 às 17:30 horas;
Curso norturno, por exemplo: Segunda a Sexta, das 18:00 às 23:00 horas.

NOTA IMPORTANTE
1 - O envio do presente pedido não significa, em hipótese alguma, qualquer compromisso de participação nos cursos;
2 - Registrando a sua intenção de fazer o curso, enviaremos um email comunicando a abertura da próxima turma.


Veja outros sites mantidos pelo Watanabe:

   

 

roberto\pericias\cursoPatologias.htm em 24/09/2000, atualizado em 23/08/2014

    RMW-13004-23/08/2014