P ROVA DO AZUL EJISTA 

Acessar com www.ebanataw.com.br/provadoazulejista

Dos problemas causados pelo revestimento, o mais comum está relacionado com falhas cometidas pela mão de obra durante a construção, na fase de aplicação do revestimento. Aborda revestimentos em geral, não só os cerâmicos como também os de pedra e os de areia e cal.

Este site apresenta as falhas mais comuns praticadas por pedreiros e azulejistas muitas vezes por desconhecer as tecnologias empregadas na fabricação das modernas argamassas de assentamento. O autor é engenheiro civil formado pela USP/Poli-72, trabalhou na construção de edifícios, sobrados e obras industriais. Trabalhou também no IPT, o Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo onde, à frente do Laboratório de Construção Civil, desenvolveu inúmeras pesquisas de qualidade de materiais e métodos construtivos.

Aresenta um teste muito simples que mostra uma forma de determinar a qualificação da mão de obra que se candadata como "azulejista" e se oferece para executar uma das partes mais importante porém muito crítica da sua obra que é o revestimento que, se realizada com falhas, pode lhe trazer muitos aborrecimentos no futuro com contendas judiciais e despesas de vulto com a obrigação de demolir e refazer o revestimento.

   

As falhas mais comuns:

A argamassa de assentamento foi mal preparada, com excesso de água para agilizar o assentamento, resultando numa argamassa porosa, fraca e sem poder de aderência;

A argamassa foi preparada com simples mistura, sem "bater" para despertar os polímeros que produzem a fluidez e a aderência;

Demora no assentamento das placas, além do Tempo em Aberto, com agravante de acréscimo de mais água;

Assentamento sem a quebra dos cordões (filetes).

 

O presente roteiro segue as recomendações das seguintes normas técnicas:

NBR-13753 - Revestimento de piso interno ou externo com placas cerâmicas e com utilização de argamassa colante - Procedimento;

NBR-13754 -  .................... paredes internas .................................................................................................................;

NBR-13755 - .................... paredes externas e fachadas ................................................................................................ .

 

A PROVA DO AZULEJISTA:

Pedreiros e azulejistas candidatos a Assentadores de Cerâmica DEVEM ser submetidos à Prova de Assentamento.

A tecnologia de fabricação de argamassas de assentamento evoluíram muito nos últimos anos e hoje não encontramos mais aqueles problemas, quase que frequente, de desplacamento de azulejos que caem da parede ou de pisos que levantam chegando a saltar produzindo barulhos assustadores, caso as cerâmicas tenham sido assentadas seguindo-se as orientações do fabricante da argamassa e de normas técnicas.

Essa evolução se dá através de pesquisas onde se adiciona à areia e cimento aditivos especiais para melhorar a trabalhabilidade e a aderência da argamassa e facilitar o assentamento das placas cerâmicas.

Os aditivos melhoram a trabalhabilidade conferindo maior fluidez à argamassa sem que seja necessário adicionar mais água, bloqueiam a fuga da água para o substrato e tardoz e conferem também maior aderência da placa cerâmica ao substrato oferecendo anos e mais anos de um acabamento firme e bonito.

A Prova consiste em oferecer ao candidato uma parede onde serão assentados os azulejos e um kit de produtos com argamassa industrializada, ferramentas e azulejos-prova.

Estes azulejos-prova é um "azulejo" montado em placa de vidro transparente sobre a qual é aplicado um adesivo imitando um azulejo. O candidato prepara a argamassa conforme seu próprio costume e faz o assentamento dos azulejos-prova conforme seu próprio costume. No dia seguinte, já com os azulejos-prova bem fixos na parede, é feita a remoção da película do adesivo que imita o azulejo e o vidro transparente permite a visualização da argamassa sob o vidro.

   

A cada cadidato é destinado um espaço numa Parede ou Piso onde será feita a Prova e a cada um é entregue:

Entregue os materiais acima, é orientado para que ele faça o assentamento dos azulejos-prova no espaço reservado a exatos 2,00 metros de altura, preparando a argamassa conforme seu costume e experiência, montando o andaime conforme seu costume e experiência e fazendo o assentamento também conforme seu costume e experiência.

Enquanto o candidato desenvolve a prova, fazer as seguintes observações:

PREPARO DA ARGAMASSA DE ASSENTAMENTO:

1 - Anotar a temperatura e a umidade do ambiente e se há vento soprando no local. Dias quentes, secos e com vento contribuem para rápida evaporação da água da argamassa e, assim, diminuir o tempo em aberto;

2 - Indagar se ele tem formação formal (Diploma do SESI ou outra escola) de Azulejista;

3 - Pedir ao candidato descrever os tipos de argamassas e as respectivas aplicações;

TIPOS APLICAÇÃO
AC I Revestimento Interno, exceto sauda, churrasquira , estufa.
AC II Revestimentos Interno e Externo sujeitos a Ciclo de Variação termoigrométrica e Ação do Vento
AC III Aderência superior à AC I e AC II.
Tipo E Tempo em Aberto com 10 minutos a mais.

4 - Se usa e quais equipamentos de proteção individual;

5 - Se a água é medida de forma exata. Para isso há um copo graduado;

6 - Se ele coloca a massa seca sobre a água e se leva no máximo 30 segundos para colocar todo o pó. Nunca colocar água sobre pó seco;

 

7 - Se a argamassa é "batida" como uma massa de bolo e com o uso da batedeira. Depois de bater por 30 segundos em velocidade lenta, deve desligar para a argamassa descansar;

8 - Enquanto isso, raspar toda a massa do recipiente e da pá do batedor. Fazer isso em no máximo 60 segundos;

9 - Bater por mais 60 segundos;

10 - Deixar o material a maturar coberto com um pano úmido por um tempo indicado na embalagem. Caso a embalagem não informar esse tempo, adotar 15 minutos;

11 - Bater por mais 15 segundos. A argamassa está pronta para ser aplicada. Dá-se início ao Período de Validade que é de 2,5 horas ou a indicada na embalagem. É terminantemente proibida a adição de água em qualquer quantidade.

APLICAÇÃO DA ARGAMASSA:

12 - O substrato deve estar seco e livre de pó. Ver se o candidato passa a mão no substrato para fazer esta verificação;

13 - Depois da argamassa pronta, o candidato tem 15 minutos para aplicá-la;

14 - Durante todo o período de aplicação, a caixa ou balde com a argamassa deve permanecer coberta com um pano úmido;

15 - Escolher a desempenadeira certa para o tamanho da placa cerâmica:

Área da Placa Cerâmica TIPO DA DESEMPENADEIRA
< 400 cm2 Dentes Quadrados 6x6x6
entre 400 e 900 cm2 Dentes Quadrados 8x8x8
> 900 cm2 Dentes semicirculares R=10 mm e E= 3 mm.

TAMANHOS OFICIAIS DA NORMA:

     

Tabela com as áreas (tamanho) das cerâmicas mais comuns:

CERÂMICA ÁREA DESEMPENADEIRA
2xx2 4 cm2 6mm
5x5 25 cm2
1010 100 cm2
10x15 150 cm2
15x15 225 cm2
15x29 300 cm2
20x20 400 cm2
20x25 500 cm2 8mm
20x30 600 cm2
25x25 625 cm2
25x30 750 cm2
30x30 900 cm2
25x40 1.000 cm2 SC
30x40 1.200 cm2

16 - Aplicar a argamassa, colocando uma porção boa na desempenadeira. Espalhar por toda a superfície que receberá os azulejos com o lado liso da desempenadeira, apertando bem para que a argamassa fique bem aderida no substrato. Nesta primeira passagem não há preocupação em formar uma espessura suficiente para a formação dos cordões. Feita a passagem, antes de pegar nova porção, a que ficou na desempenadeira deve ser descartada;

17 - Aplicar novas porções de argamassa, sempre com o lado liso da desempenadeira, desta vez com a preocupação de formar uma espessura adequada, cerca de 3 a 4mm, para a formação dos cordões;

18 - Verificar como o candidato faz o espalhamento da argamassa. Ele deve usar o lado liso da desempenadeira denteada, fazendo boa pressão para que a argamassa fique bem aderente ao substrato;

19 - Verificar se o candidato tomou o cuidado de espalhar a argamassa por toda a área, e um pouco mais, onde serão assentados os 4 azulejos;

20 - Com o lado denteado da desempenadeira apoiado firmemente sobre o substrato, num único movimento, formar cordões com altura de 5 ±0,5mm, isso se consegue deslocando a emprenadeira com cerca de 600 de inclinação. Se os cordões não ficarem "bonitos" nesta única passagem da desempenadeira, voltar ao item anterior, aplicando novas porções de argamassa com o lado liso da desempenadeira. Repetir a formação dos cordões com outra velocidade ou mudando o ângulo de inclinação da desempenadeira. A porção que permanecer na desempenadeira deve voltar para o balde;

21 - Verificar se o candidato formou os cordões adequadamente. A direção dos cordões DEVE SER na horizontal ou na vertical e os cordões devem ficar paralelos e sem interrupção. O candidato deve escolher a direção, vertical ou horizontal, em função da facilidade que ele vai ter de fazer movimentos de vai-e-vem para assentar a placa cerâmica. Se ele não fez isso e formou o cordões em direções quaisquer, ele já está eliminado;

   

22 - Verificar se o candidato removeu com a colher ou deixou um trecho da argamassa colocada. Trata-se de um hábito ruim ainda praticado por alguns profissionais:

23 - Tem iníco o Tempo em Aberto da argamassa. Anotar o horário.

ASSENTAMENTO DAS PLACAS:

24 - Ver se o candidato verifica se o tardoz da placa está limpo e isento de pó;

25 - Informar o candidato que as placas serão assentadas em Junta Prumo;

26 - Efetuar o teste de Toque dos Dedos para verificar se já não se formou um película seca na superfície dos cordões;

27 - Caso tenha se formada uma película seca na superfície dos cordões, não se pode assentar a placa cerâmica. Remover toda a argamassa e repetir a aplicação;

28 - As reentrâncias de altura maior que 1 mm existentes no tardoz de alguns tipos de cerâmica devem ser preenchidas com argamassa e niveladas na altura das reentrâncias. Este procedimento deve ser feito concomitantemente com o assentamento. Passar o lado liso da desempenadeira e remover TODA argamassa mais alta que as reentrâncias. Esse tamponamento das reentrâncias NÃO É o que se chama de "camada dupla" de assentamento;

   

29 - Aplicar cada placa cerâmica sobre os cordões de argamassa colante ligeiramente fora da posição e em seguida pressioná-la, arrastando-a perpendicularmente aos cordões, até a sua posição final (item 5.7.5-b da NBR-13753). Use ventosas para facilitar o trabalho;

 

30 - Atingida a posição final, aplicar vibraçoes manuais de grande frequência, transmitidas pelas pontas dos dedos, procurando obter a maior acomodação possível, que pode ser consttatada quando a argassa colante fuir nas bordas da placa cerâmica (item 5.7.5-c da NBR-13753);

31 - Verificar se o candidato assentou os azulelos fazendo pequenos movimentos de vai-e-vem na direção perpendicular à direção dos filetes. O movimento de vai-e-vem não deve ser maior que o tamanho dos cordões. Se ele usou o mertelo de borracha será eliminado. Perguntar se ele sabe o que é Efeito Gangorra;

  

CUIDADOS:

32 - Não é permitido andar sobre o revestimento logo após assentado. Deve-se aguardar pelo menos três dias antes de liberar para o trânsito de pessoas (Nota 2 do item 5.7.9). Passado este prazo, ainda assim, deve-se tomar o cuidado e andar sobre pranchas largas de madeira. A resistência admissível da argamassa se dá aproximadamente aos 14 dias de idade;

33 - A critério da Fiscalização, deve ser realizada a Verificação da Aderência por meio do Ensaio de Aderência. Feito o ensaio sobre 6 amostras, pelo menos quatro valores devem ser iguais ou maiores que 0,3 MPa;

REJUNTAMENTO:

A Prova do Azulejista é encerrada logo após o assentamento dos azulejos-prova. Essas demais questões são perguntas que se fazem ao candidato. Isso serve para tirar a diferença entre candidatos que se saíram muito bem na prova.

34 - O rejuntamento das placas cerâmicas deve ser iniciado no mínimo após três dias de seu assentamento, fazendo-se uso de pranchas largas de madeira para andar sobre o piso.

35 - Antes de executar o rejuntamento, verificar com um martelo de borracha se há placas com som cavo. Se sim, a placa deve ser removida e imediatamente reassentada;

36 - As juntas entre as placas cerâmicas devem estar isentas de sujidades, resíduos e poeiras que impeçam a perfeita penetração e aderência do rejunte;

37 - Umedecer as juntas entre as placas cerâmicas com utilização de broxa, de modo a remover o poó, e deixá-las umidecidas, para garantir uma boa hidratação e aderência do rejunte;

38 - Aplicar a argamassa de rejuntamento com desempenadeira emborrachada movimentando na direção diagonal das juntas. A borracha deve ser suficientemetne macia para não riscar o esmalte da placa cerâmica e suficientemente resistente para forçar a pasta para dentro da junta.

39 - Aplicado o rejunte, aguardar pelo menos 15 minutos ou pouco mais e limpar com uma esponsa úmida. Finalizar a limpeza com um pano limpo seco;

40 - No caso de placas cerâmicas bisotadas, deve-se proceder ao frisametno das juntas com emprego de haste  de amdeira macia ou plástico com ponta arredondada e lisa.

41 - Os pisos cerâmicos recém-rejuntados não devem ser submetidos a caminhamento de pessoas ou qualquer outra solicitação mecânica. No caso de pisos externos deve permancer coberto com manta de polietilieno ou sacos de estopa umedecidos durante pelo menos três dias;

42 - O revestimento de pisos só pode ser liberado ao tráfego de pessoas depois de transcorridos sete dias após o rejuntamento;

43 - A limpeza final do piso só pode ser feito depois de transcorridas duas semanas após o rejuntamento (item 5.10.1 da NBR-13753). A limpeza só pode ser feita com detergente neutro e água. Jamais use ácidos ou outra substância agressiva;

RESULTADO DA PROVA:

44 - No dia seguinte, com o azelejo-prova firmemente aderido ao substrato, o candidato volta ao local da prova;

45 - Os adesivos imitação de azulejos são removidos e será exposto do resultado do trabalho feito pelo candidato. De acordo com orientação do IPT, o Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo, os resultados possíveis da Prova do Azulejista são os seguintes:

Foto A - Sem aderência. Os cordões estão quase que intactos e não sofreram quebra nem deformação. Falha da mão de obra que não efetuou o movimento de vei-e-vem para produzir a deformação e quebra dos cordões. O martelo de borracha não foi utilizado, pois se o fizesse o candidato teria sido imediatamente eliminado.

Foto B - Semi Aderente. Alguns cordões sofreram quebra mas mais da metade não. Falha da mão de obra na aplicação da desempenadeira denteada e que deixou um montículo de argamassa e portanto, os cordões não estavam uniformes.

Foto C - Aderência Total. Todos os cordões sofreram quebra e os espaços vazios sumiram todos. Candidato APROVADO  - analisar os demais quesitos sobre rejuntamento e tempos de cura.

Foto D - Sem Aderência - o azulejo-prova saiu quando se puxou o adesivo. A argamassa de assentamento não aderiu ao substrato. Falha da mão de obra que não pressionou a argamassa contra o substrato.


NOTA DO AUTOR: A presente Prova do Azulejista é baseada nas experiências realizadas no IPT, o Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo, com complementações oriundas de experiências práticas realizadas nas obras vistoriadas mas não tem respaldo legal de modo que não pode ser imputada aos candidatos como elementos de desqualificação podendo ser utilizado apenas como elemento de diferenciação de conhecimento entre os candidatos que demonstrem domínio, habilidade e produtividade no assentamento de placas cerâmicas. Segundo pesquisas realizadas junto às maiores construtoras do país mais de 77% dos problemas com o revestimento são decorrentes de falhas construtivas e dentre as falhas, 95% estão relacionadas a descolamentos. Por isso a Prova do Azulejista assume importância vital num item de grande importância para o consumidor final que reforçado pelo Código de Defesa do Consumidor não tem poupado ações judiciais obrigando a refeitura de serviços de revestimento cerâmico.

Site em construção. As partes faltantes estão sendo adicionadas na medida em que sobra um tempinho do autor. Para esclarecimento de duvidas e apontar incorreções, enviar email para roberto@ebanataw.com.br.

RMW\patologia\ProvaAzulejista.htm em 11/10/2018, atualizado em 22/10/2018.

    RMW-2847-01/07/2022