C

aso N0 26 Afloramento por infiltração difusa
 

 

1- OS SINTOMAS:

Podemos entender como INFILTRAÇÃO DIFUSA aquela em que não se sabe ao certo a causa e o local da infiltração. Ocorrem em geral em situações de rompimento de tubos, canos e galerias enterradas no solo. Somente uma investigação por meio de sondagens de reconhecimento do subsolo ou perícia feita por um profissional experiente poderá determinar a causa da infiltração e o local exato em que ela ocorre.

São muitos os sintomas de ocorrência de infiltrações. No caso de infiltrações difusas, o que a gente vê são os efeitos, isto é, as conseqüências da infiltração que se manifestam por meio de afloramentos, isto é, a umidade ou a água aflora (surge, aparece) de paredes e pisos. 

Conheça a diferença entre infiltração e afloramento - .

Os sintomas mais comuns são:

  • Afloramento de água na face externa do muro de arrimo ou muro de contenção;

    • Veja o que é Muro de Arrimo em .

    • Veja o que é Muro de Contenção em .

  • Afloramento de água na parede do subsolo;

  • Afloramento de água na parede da garagem;

  • Manchas escuras na parede da garagem;

  • Manchas escuras na parede do quarto ou sala encostado em barranco ou aterro.

É necessáro descobrir a causa, isto é, onde está o local do vazamento para se determinar a causa, isto é, o que está causando a infiltração que vai resultar no afloramento de água pela parede ou piso.

2- A CAUSA:

São muitas as causas possíveis mas como o afloramento vem de dentro do terreno, tecnicamente, chamamos de Afloramento Difuso pois não conseguimos, à primeira vista, determinar com exatidão a causa e nem o local exato em que ocorre a infiltração.

O que podemos ver é a água saindo pela parede mas não dá para saber de onde ela vem. Pode ser o cano de esgoto do vizinho, a galeria de águas pluviais da rua de cima, a rede de abastecimento de água da rua de cima, com falhas, trincas ou rompimentos causados pelas raízes de árvores, trepidação pela passagem de veículos pesados, manutenções mal realizadas, uma acomodação geológica, etc.

Tá saindo água, mas de onde ela vem?

Algumas características podem fornecer dicas importantes sobre a origem da água: Só sai água em dias de chuva, aumenta quando chove, sai barrenta, tem cheiro de esgoto, tem cheiro de gasolina, não tem cheiro, não tem cor, etc. 

O fato de ter uma característica bem marcante não significa, necessariamente, que ela é a causa pois pode estar ocorrendo um outro fenômeno e esta característica ser apenas uma vítima desse outro fenômeno.

Por exemplo, sai água só em dias de chuva e sai com forte cheiro de esgoto. A responsabilidade pode ser da concessionária de esgoto ou da concessionária de águas pluviais ou de ambos. A rede de esgoto caminha, em geral, lado a lado com a rede de águas pluviais. Uma falha em uma das redes pode prejudizar a outra rede. Na manutenção de uma delas é empregado equipamento tipo retroescavadeira que pode danificar a outra rede. Quando o conserto é feito às pressas e em dias de chuva, pode acontecer de se consertar um problema e, ao mesmo tempo, criar um outro problema.

3- AS CAUSAS POSSÍVEIS DE AFLORAMENTO DIFUSO:

Vejamos as causas mais comuns, agrupadas em função do responsável pela instalação:

DO MURO:

Responsabilidade Civil do Proprietário.

Responsabilidade Civil do Construtor.

Falta ou falha da Impermeabilização do tardoz do muro - CASO 26.1;

Falta ou falha de Drenagem do Muro - CASO 26.2

Por ascensão capilar da umidade pelas fundações do muro - CASO 26.3 .

DO VIZINHO:

Responsabilidade Civil do Vizinho.

Vazamento na rede de água ou na rede de esgoto sanitário dentro da área de sua propriedade.

No caso da rede de água, a responsabilidade do proprietário começa no cavalete de medição do fornecimento.

No caso da rede de esgoto sanitáio, a responsabilidade do proprietário termina na caixa de saída.

Incorreto destino ou falhas na rede de coleta de Água da chuva;

Construção feita sem os cuidados necessários.

DA CONCESSIONÁRIA:

Responsabiliade Civil da Concessionária de Serviços Públicos.

Vazamento através de trinca ou rompimento de cano d'água de sua responsabilidade;

Vazamento causado a tubulação de água de outra concessionária;

DA PREFEITURA:

Responsabilildade Civil da Prefeitura.

Vazamento através de trinca ou rompimento de cano ou galeria de águas pluviais;

Falta de rede de Drenagem Urbana;

Vazamento através de trinca ou rompimento de partes da rede pública de saneamento básico; 

Rompimento de partes da rede da concessionária pela trepidação dos veículos;

Rompimento de partes da rede da concessionária pelo rebaixamento do lençol freático;

Falha na fiscalização no reaterro de valas abertas pelas concessionárias;

Falha na detecção de Áreas de Riscos Geológicos;

Falha na fiscalização e acompanhamento de instalações enterradas como tanques de combustíveis;

Falha no funcionamento de Bomba de Recalque eventualmente existente em instalações de recalque como piscinões.

Transbordamento de Rios, causando enchentes e inundações.

4- ENCAMINHAMENTO:

Para a correta solução do problema da água que aflora em sua propriedade, é imprescindível a 

Isso aocntece por que com grande chance, a solução do problema vai envolver obras de correção que deverão ser realizadas no terreno do

Veja nas próximas páginas os cuidados necessários para encaminhar o problema em função da natureza do envolvido seja ele vizinho ou condomínio particular, empresa concessionária de serviços públcos ou a Prefeitura.

NOTA IMPORTANTE: Este é um caso ilustrativo que mostra a relação entre a causa e o efeito considerando, na demonstração, apenas uma determinada causa e apenas um determinado efeito dssa causa e, como a finalidade do site é educativo, considera apenas um lado do problema. O problema real pode estar acometido por diversas causas de modo que o parecer fundamentado sobre o efeito da combinação das causas assim como a escolha da solução adequada só pode ser feito por um perito profissional. A água possui propriedades muito curiosas e seu comportamento não segue a lógica comum conforme aconselhava Leonardo Da Vinci.

 ET-12\www\\infiltracoes\caso26.htm em 02/01/2011, atualizado em 04/01/2011.