ENXAIMEL

A AÇÃO DO
VENTO NAS   EDIFICAÇÕES
por Watanabe

O ENXAIMEL é uma técnica de construção que leva em consideração a Ação dos Ventos que sopram nas regiões montanhosas da Áustria, Alemanha e Suiça onde o vento, muito forte, exerce pressões e sucções nas edificações.

Quando não há ventos, uma casa sustenta bem o telhado com apenas alguns pontaletes fincados no chão.

Nas regiões montanhosas, os vales canalizam o vento que atuam muito forte sobre a casa, em especial nos telhados e tendem a derrubar a casa.

Nos dias de hoje, sabemos que basta levantar um componente rígido como uma parede de alvenaria, tomando o cuidado de assentar os tijolos em Junta Amarração para formar um painel rígido capaz de contrapor-se às forças do vento. Parede em Junta Prumo e paredes feitas como pedras empilhadas não oferecem a resistência necessárias ao contraventamento.

Na época em que o ENXAIMEL foi desenvolvido, não havia maiores conhecimentos e nem mesmo materiais como o aço que pudessem exercer essa difícil função de resistir às forças dos ventos.

então, era usado um simples pontalete de madeira instalado de forma inclinada para resistir bem, oferecendo uma resistência suficiente para suportar as forças do vento.

Embora tenha uma aparência bastante intrincada, uma construção em enxaimel é baseada num núcleo resistente formado por uma treliça.

parece complicado mas é muito simples. Observe esta casa:

veja que existe uma treliça formada pela Coluna, Escora e Baldrame:

Naquela época não existia ainda o prego e nem o parafuso, de modo que as estruturas de madeira eram construídas por meio de encaixes feitos na madeira.

Veja uma sequência simplificada de construção de uma Casa Enxaimel.

Primeiramente se constrói todo o alicerce e se instala os Baldrames. Observe que os furos de encaixe são feitos antes da instalação das peças no local:

na sequência, se monta as colunas e as escoras:

por fim a viga e a estrutura do telhado:

tendo montada a estrutura da casa, então se instala outras peças para formar o vão das janelas e das portas. Veja quais são:

completada esta fase se procede ao fechamento das paredes. Não se conhecia, ainda, o tijolo de modo que o fechamento era feito com pedras:

finalmente, as frestas eram tampadas com barro:

nas regiões onde não se dispunha de pedras, usava-se uma técnica que depois ficou conhecida como TAIPA. Era um trançado de madeira preenchida com barro amassado:

atualmente, o fechamento das paredes é feito com tijolo de barro:

que pode ser revestida com argamassa ou mesmo deixar aparente:

o que não deixa de ter seu próprio charme:

A casa enxaimel é sempre projetada para permitir posteriores ampliações.

Veja mais detalhes sobre casas ENXAIMEL em www.casasenxaimel.com.br

Quer ver pessoalmente, sem sair do Brasil? Veja em

No Brasil

Por influência de José Bonifácio, Dom Pedro I decidiu inaugurar com os alemães um programa de imigração para o sul no início do século XIX movido não apenas por questões de segurança nacional, diante das sucessivas disputas territoriais naquela então erma região fronteiriça, como também por um casamento de interesses políticos, literalmente – filha de Francisco I, da Áustria, a imperatriz Leopoldina tinha sangue germânico (vale ressaltar que a colonização alemã em Nova Friburgo, RJ foi anterior à de São Leopoldo, RS).

O êxodo foi impulsionado, também, pela escassez de terras que apenas garantia sua posse ao primogênito de cada família.

As casas no chamado estilo enxaimel são uma das principais atrações turísticas em qualquer região de colonização alemã. Quando os primeiros alemães chegaram ao Brasil, a arquitetura enxaimel já não era utilizada havia muito tempo na Alemanha, mas foi considerada a mais adequada para as condições encontradas em São Paulo, Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina.

Além de fortes e resistentes, as casas enxaimel eram baratas e de construção simples. Enxaimel quer dizer enchimento. Primeiro, era construído o esqueleto da casa, todo de toras grossas de madeira. Entre as vigas verticais eram colocadas as horizontais e, nas extremidades das paredes, algumas em ângulo, para evitar inclinação. Pronta a "caixa", os espaços eram completados com materiais disponíveis de acordo com a região: no Rio Grande do Sul, há fechamentos com taipa, barro socado, tijolos maciços rebocados e até mesmo pedra grês cortadas. Em Santa Catarina, há maior ocorrência de tijolos maciços sem uso de reboco. Em Pomerode, Santa Catarina, existe até uma entidade que dá orientação turísticas num traçado conhecido como Rota do Enxaimel (clique na foto para fazer um tour no Street View).

O Vale do Itajaí e o Norte do estado de Santa Catarina têm uma das maiores concentrações deste modo construtivo na América. Os municípios de Indaial, Blumenau, Joinville, São Bento do Sul, Timbó, Taió e Pomerode têm número significativo de enxaiméis.

No Paraná essa técnica é encontrada na localidade de Marechal Cândido Rondon, a cidade mais alemã do Paraná e em áreas preservadas na região de Curitiba além de pequenas casas rurais em localidades isoladas no norte do Paraná,como em Rolândia, Cambé e Warta (distrito de Londrina).  Higino Palace Hotel, em Teresópolis, cuja arquitetura é baseada no estilo.

No Rio de Janeiro encontram-se diversos exemplos nas cidades de colonização alemã como Petrópolis, Nova Friburgo; além do icônico Higino Palace Hotel em Teresópolis.

Em São Paulo encontra-se em algumas casas de bairros tipicamente alemães, como Santo Amaro e Bresser. É muito frequente nas cidades de Campos do Jordão e Holambra, e há também em regiões mais isoladas e preservadas do interior do estado.

No Rio Grande do Sul, se destacam os municípios emancipados da antiga colônia alemã de São Leopoldo (Ivoti, Dois Irmãos, Picada Café, Santa Maria do Herval, Morro Reuter, Linha Nova e Presidente Lucena), a região do alto Taquari (Estrela, Teutônia, Westfália, Imigrante, Colinas), e ainda algumas localidades rurais de Nova Petrópolis e Gramado.

Como vêem, o ENXAIMEL, antes de um estilo estético é uma técnica construtíva  muito interessante e que, aplicada com critério, pode ser uma boa solução para o problema habitacional em muitas regiões brasileiras.

NOTA IMPORTANTE: Este site é mantido por abnegado engenheiro que voluntariamente desenvolve o site na medida em que sobra um tempinho. Ele faz isso para divulgar detalhes técnicos importantes mas que não é de conhecimento de todos e que por isso mesmo causam muitas dores de cabeça. Por sua finalidade didática, o conteúdo do site pode ser livremente divulgado, copiado e impresso. Só não pode ser pirateado, isto é, tirar copia e colcoar em outro site como se fosse de sua autoria pois todo o conteúdo (texto, figuras e fotos) possuem proteção autoral, de modo que ao copiá-los recomenda-se mencionar a fonte.

\RMWvento\.htm em 19/03/2006, atualizado em 10/03/2017 .