PRESERVAR AQUILO QUE DEVE SER PRESERVADO
A CASA DE PORTINARI

 

Em 2008, mais precisamente no dia 6 de maio, eu tive a oportunidade de visitar a Casa de Portinari na cidade de Brodowski, região nordeste do estado de São Paulo, entre Ribeirão Preto e Franca.

Portinari é cultuado no mundo inteiro como autor dos gigantescos painéis no hall de entrada da sede da ONU - Organização das Nações Unidas, em Nova York.

Dois gigantescos painéis de óleo sobre madeira medindo, cada um, 10 de largura por 14 metros de altura, um deles mostra a Guerra com todos os seus horrores e o outro a Paz com todas as suas esperanças. Encomendado pelo Governo Brasileiro para presentear a ONU, foi inaugurado em 1956.


Cândigo Portinari viveu a vida toda na cada onde nasceu.

Durante a sua vida realizou inúmeras obras, em quadros mas também desenhou e pintou diretamente sobre as paredes da casa onde morava, quadros denominados afrescos. Veja algumas dessas obras:

Como sabem, sou engenheiro especializado em Patologias das Edificações (doenças das casas) e fiquei muito preocupado com as condições ambientais do local. Iluminação artificial baseada em lâmpadas de descargas de raios catódicos emitem ultravioleta que alteram a composição das tintas, acelerando a deterioração. Ambiente sem climatização apresenta oscilação da umidade relativa do ar, afetando a estabilidade da argamassa de revestimento (reboco) das paredes.

As pinturas foram feitas diretamente sobre a parede sem nenhum tratamento estabilizante de modo que a variação da umidade do ar produz alterações na estrutura coesiva das particulas da argamassa. Qualquer um sabe que em "casa velha" o reboco começa a esfarelar sozinho. É por que a variação da umidade, ao longo de vários anos, diminui a força de coesão (uma espécie de cola) fazendo com que as partículas se soltem.

Além disso, a estrutura das paredes também não receberam qualquer componente estruturante como um baldrame rígido. Como consequência as paredes apresentam movimentações de origem térmica, movimentações estas que produzem trincas e rachaduras. Veja o caso de um dos afrescos afetado por diversas trincas:

As movimentações de origem térmica são produzidas pela ação dos raios solares que esquenta a casa no telhado e nos lados que incide. Essa diferença de temperatura entre uma parede "quente" esquentada pelo sol e a parede contígua "fria" produz trincas na estrutura da parede. No caso do afresco acima, as trincas tem origem no interior da parede e consertar isso é impossível. Podem até "restaurar" a pintura mas não a parede.

As pessoas, em especial os visitantes, alteram significativamente a temperatura interior e também a umidade relativa do ar pois a respiração exala uma quantidade grande de umidade que é úmida e quente. Em fim, diversos fatores e falta de cuidados estão pondo a perder o valiosíssimo acervo cultural. Urge que se faça um Projeto de Proteção das obras.

A obra mais valiosa, a meu ver, é a CASA. A própria casa deve ser protegida.

Atualmente a Casa de Portinari está exposta ao relento abandonada à sorte das intempéries. Chuva, vento e sol castigam o telhado, as paredes e a variação da umidade do ar castiga o interior da frágil estrutura das paredes feitas em precária alvenaria de tijolos de barro.

Uma idéia que me vem, de imediato, à cabeça é colocar a casa toda sob uma redoma fechada que a proteja todo o conjunto do sol, do vento, da chuva e da variação da umidade do ar.

A entrada avançaria por sobre a praça existente, ornada nas duas laterais por cópia dos painéis Guerra e Paz.

Protegido contra os nocivos raios solares, da chuva que molhando e secando as telhas produzem a sua deterioração, da excessiva variação da umidade do ar (dias úmidos e dias secos) que age na diminuição da coesão das partículas do reboco e nas variações bruscas da temperatura das paredes (de manhã bate o sol e à tarde não e vice-versa) que produzem o trincamento da frágil estrutura da alvenaria de tijolos poderemos deixar para nossos descendentes a oportunidade de ver, de perto, as obras desse famoso e ilustre brasileiro.

Eu tive essa ideia me inspirando na logomarca do museu, desenhado num painel indicativo à frente da casa. Nele aparece um "telhado" mostrando que a Casa de Portinari deve ser protegido da chuva.

/roberto/rotary/casadeportinari.htm em 20/05/2014, atualizado em 07/02/2015.

    RMW-1730-14/12/2018