DESENVOLVIMENTO DO VALE DO RIO ARINCANDUVA

Uma proposta do Engenheiro Civil Roberto Massaru Watanabe, especialista em planejamento e infraestrutura urbana, que abre uma importante porta para a participação do comércio, indústrias e população, com o propósito de promover um desenvolvimento harmonioso e equilibrado de toda a região abrangida pelo vale do Rio Aricanduva.

SETEMBRO DE 2002


Fala a voz da experiência.

1 - Morfologia do Vale

O Rio Aricanduva nasce nas proximidades da divisa com o município de Maua, percorre cerca de 27 quilometros e deságua no Rio Tietê nas proximidades da Ponte do Aricanduva. É o único rio de porte que se desenvolve totalmente dentro do município de São Paulo

Seus principais afluentes são:

na margem direita:

  1. Rincão;

  2. Fazenda

  3. Coutinho;

  4. Cercado Fundo;

  5. Fazenda Velha;

  6. Barra funda.

na margem esquerda:

  1. Tatuapé;

  2. Rapadura;

  3. Taubaté

  4. Água Rasa;

  5. Uberaba;

  6. Taboão;

  7. Tapera;

  8. Anhumas;

  9. Machados;

  10. Parque Colonial;

  11. Parque São Lourenço;

  12. Caguaçu;

  13. Mombaça;

  14. Limoeiro;

  15. Palanque.

A figura seguinte dá uma idéia de todo o vale do Rio Aricanduva com todos os seus afluentes:

2 - Como ocorreu o Desenvolvimento

A ocupação do vale ocorre de forma gradativa, havendo uma intensificação a partir da década de 70 quando foi feita a primeira intervenção de porte pelo Governo no sentido de acabar com as enchentes que ocorriam na confluência com a avenida Radial Leste e na região da Vila Manchester.

Em seguida, ocorre o desenvolvimento da região da Vila Rica e a implantação do Shopping Aricanduva. Em seguida seu prolongamento até São Mateus.

Atualmente espera-se uma nova intervenção urbana de porte, a partir do Parque São Lourenço onde foi construído o piscinão Aricanduva-3 até a confluência com a Avenida Jacu-Pêssego/Nova Trabalhadores. Neste último trecho, o Rio Aricanduva ainda corre em seu leito natural.

A tendência do desenvolvimento será uma grande expansão urbana no entorno da confluência acima citada, o prolongamento da Avenida Jacu-Pêssego até Mauá passando por detrás da Petroquímica União localizada no bairro de Cauava, já no município de Santo André.

Mais para o futuro a expanção deverá ocorrer deste ponto até Cidade Tiradentes.

3 - Pólos de Atração no entorno do Vale.

Originalmente, a abertura da Avenida Aricanduva (nas laterais do rio) fazia parte do Corredor Sul de Minas para ligação com o Porto de Santos, com a finalidade de escoar a produção da região do Sul de Minas.

Grande parte da Avenida Aricanduva recebeu financiamento do Banco Mundial para a sua construção, inclusive o complexo de viadutos conhecido como Viaduto Aricanduva, na confluência da Avenida Aricanduva com diversas vias de tráfego intenso como:

Infelizmente nosso Governo ABANDONOU  a construção do Viaduto Aricanduva deixando-o pela metade e com muitas obras importantes ainda por fazer.


4 - O Anel Rodoviário de São Paulo

Na década de 70, tendo em vista a projeção de crescimento da cidade de São Paulo, uma equipe de engenheiros (da qual fez parte o autor) desenvolveu a idéia de circundar a cidade com diversos anéis que fariam a distribuição do tráfego sem que esse tivesse que passar pela região central e ao mesmo tempo desviasse desse mesmo centro o tráfego que não se destinariam ou que não teriam origem na cidade.

Criaram então o Pequeno Anel Rodoviário e o Grande Anel Rodoviário.

5 - O desenvolvimento do Sul de Minas. 

Toda aquela região localizada no sul do Estado de Minas Gerais encontra-se numa espécie de labirinto fechado e sem saída. Do lado esquerdo ela é totalmente fechada pela Serra da Canastra e apresenta serras difíceis de serem transponíveis por veículos. Do lado direito e também ao sul, é totalmente fechada pela Serra do Espinhaço e pela Serra da Mantiqueira que apresenta picos altíssimos como é o caso do Pico das Agulhas Negras com altitude de 2.787 metros.

Fechada e incomunicável com o mundo, o Sul de Minas estaria fadada ao abandono, não fosse um estreito corredor, uma falha geológica, exatamente por onde foi traçada a Rodovia Fernão Dias. Aliás, quem descobriu essa rota favorável ao tráfego rodoviário foi o próprio Fernão Dias nas suas incursões à região de Minas à procura do ouro verde, as Esmeraldas.

A Avenida Aricanduva foi projetada como prolongamento da Rodovia Fernão Dias até o município de Mauá onde faria a interligação com a Rodovia Anchieta, criando um Corredor de Exportação entre o Sul de Minas e o Porto de Santos.

6 - CONDICIONANTES DO DESENVOLVIMENTO DO VALE DO ARICANDUVA.

1 - Condições Geográfica

3 – Pólos de Atração/Repulsão

 

 

 

 

 

3 – Pólos de Atração/Repulsão

Determinados usos atraem o desenvolvimento:

Outros repelem o desenvolvimento:

  • Boates e Casas Noturnas

  • Cemitério.

  • Lixão.

  • Piscinão

4 – Necessidades Externas

·        Corredor de Exportação de Santos para região do Sul de Minas.

·        Mairiporã/Atibaia/Bragança precisam de Centros de Compras, de Negócios, de Lazer.

·        Bairros vizinhos precisam de Centros de Compras, Cultura, Saúde e Lazer. Criar e ampliar avenidas de acesso. Setor 1: Penha/Cangaíba, 2: Ermelino Matarazzo/São Miguel Paulista/Itaim, 3: Cidade AE Carvalho/Arthur Alvim/Cidade Patriarca, 4: Itaquera/José Bonifácio/Guaianazes, 5: Cidade Tiradentes, 6: Mauá/Santo André, 7: Vila Prudente, 8: Tatuapé, 9: Parque Novo Mundo/Vila Maria/Jardim Japão,  10: Guarulhos.

5 – Intervenções Necessárias a Médio e Longo prazos.

             1 -    Terminar o de construir o semi-acabado Complexo Aricanduva, parte do Corredor de Exportação de Santos.

             2 -    Construir um viaduto na confluência com a avenida Itaquera. Duplicar até cemitério.

             3 -    Construir um Complexo Viário na confluência com as avenidas Rio das Pedras / Mateo Bei / Afonso de Sampaio / Engenho Novo.

             4 -    Construir o trecho sul do Corredor de Exportação de Santos, interligando a avenida Aricanduva com o município de Mauá.

             5 -    Construtir o prolongamento da avenida Aricanduva para criar uma alternativa à já congestionada avenida Ragueb Chofi.

             6 -    Construir um longo viaduto na região frontal ao Shopping Aricanduva, desde antes da Avenida dos Latinos e até depois da avenida Governador Adhemar de Barros, para desviar o tráfego pesado e estranho para a região (corredor de Exportação de Santos).

             7 -    Canalizar o rio Aricanduva na região sob o viaduto acima para criar um sistema viário local. A tendência é do corredor comercial da avenida Rio das Pedras se integrar com a do shopping.

O poder público deverá fazer as complementações urbanísticas necessárias como infra-estruturas (água, esgoto, avenidas), a construção de um Centro Cultural, Bibliotecas, Teatro, Universidade e um grande espaço para exposições, integrando toda essa área com o Parque do Carmo. Criar uma área para escritórios comerciais (como a Berrini, porém coordenada pelo poder público)

Ao mesmo tempo, a iniciativa privada, coordenada pelas entidades comunitárias, deverá investir (trazer novos investimentos): um grande Hotel de 5 Estrelas, um amplo espaço para a realização de Congressos e Simpósios Internacionais (Aeroporto de Cumbica / Porto de Santos), uma grande Casa de Shows ,Hospitais, Faculdades, SENAI, SENAC.

             8 -    Construir uma linha do Metrô entre o Aeroporto de Cumbica e Cidade Tiradentes, com as estações: Aeroporto, Parque Cecap, Guarulhos, Engenheiro Trindade, Penha (integração), Manchester, Carrão, Carmo, São Matheus, Iguatemi, Limoeiro e Cidade Tiradentes.

Quem é o autor do projeto:

Roberto Massaru Watanabe é engenheiro Civil formado pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo, turma de 1972, com especialização em Planejamento Urbano, Infra-estrutura e Equipamentos Urbanos.

Participou do projeto do Anel Rodoviário de São Paulo (1970), Rodovia dos Imigrantes (1971), Sistema Cantareira de Abastecimento de Água, Hidrelétrica de Jupiá, Ilha Solteira, Itaipú e Tucuruí, Emissário Submarino de Santos e da elaboração do Plano Diretor de diversas cidades, com destaque ao Plano Diretor de Fortaleza e de Campinas.

Nasceu no Largo São José do Maranhão e desenvolve atividades comunitárias desde os seus 13 anos de idade, colaborando com entidades como Sociedade Amigos, Associação de Moradores, Igrejas, Associação Comercial e Rotary.

Divulgação:

Este projeto já foi divulgado nas seguintes entidades e veículos de comunicação:

24/09/2002 - Palestra proferida no Rotary Club de São Paulo - Vila Carrão
18/08/2005 - Apresentado à diretoria do Shopping Aricanduva.

    RMW-12888-14/12/2018