Prezados companheiros do grupo GEROI-Brasil:logoGEROIpequeno.JPG (7568 bytes)

FotoRMW.jpg (2736 bytes)

SABER ENFOCAR PARA NÃO PERDER O FOCO

11/03/2007

logo2006.gif (6987 bytes)

      Eu tenho andado muito por aí e observado que

muitas discussões desgastantes ocorrem por fatos simples como diferenças no foco da discussão, na falta de percepção de que o foco de cada um dos participantes da discussão é distinto dos demais. Resolvi então desenvolver o presente ensaio.

 

1a PARTE - OS COMPONENTES DE UMA TAREFA:

As atividades e tarefas estão relacionadas com ações que praticamos para conseguirmos determinados efeitos.

A ATIVIDADE leva em considerção apenas a ação, enquanto que a TAREFA considera sempre os três componentes imprescindíveis da ação, ou seja, o Sujeito que é aquele que pratica a ação, a Ação que é o ato praticado pelo sujeito para obter determinado efeito e o Objeto que é a finalidade da ação executada pelo sujeito.

Entende-se, pois, como TAREFA um PROCESSO onde um SUJEITO desenvolve uma determinada AÇÃO com a finalidade de obter um determinado OBJETO.

FOCO N0 1
Objeto_0061.gif (33941 bytes)

FOCO N0 2
Objeto_0061.gif (33941 bytes)

FOCO N0 3
Objeto_0061.gif (33941 bytes)

FOCO NO SUJEITO
Canguru_01.gif (24697 bytes)

FOCO NA AÇÃO
Casa_099.gif (7862 bytes)

FOCO NO OBJETO
Casa_223.gif (4260 bytes)

Dependo de uma série muito complexa de fatores (etnia, cultura, formação), as pessoas são levadas a fixar o seu foco em determinadas partes do processo. Algumas tem uma tendência para enfocar o SUJEITO da ação, outros na AÇÃO que está sendo realizada e outros ainda no OBJETO resultado da ação.

É o que diferencia, por exemplo, um Arquiteto de um Engenheiro. Quando alguém exclama: "Que belo prédio!", pode ser que anbos os profissionais, isto é, tanto o Arquiteto como o Engenheiro, respondam: "É mesmo" como se estivessem tendo a mesma sensação com relação ao prédio. Entretanto existe uma notória diferença na forma com que estes profissionais "enxergam" o prédio. Enquanto que o Engenheiro "visualiza" os componentes estruturais do prédio como lajes, vigas e pilares, o Arquiteto "visualiza" as pessoas vivendo dentro daquele prédio usufruindo da sua funcionalidade e conforto. Então quando ambos respondem "É mesmo" não significa, necessariamente, que ambos compartilham do mesmo ponto de vista.

Isto é uma questão de FOCO.

2a PARTE - QUESÃO DE FOCO EM UMA CONVERSA:

Independentemente do foco com que cada um desenvolve sua análise, sempre encontramos aspectos de erros, falhas e diferenças que nos levam ao desejo natural de manifestar a nossa contrariedade. Então eu digo, ou gostaria de dizer: "Sou Contra!". Às vezes fico só na vontade e não chego a pronunciar as palavras. Mas mesmo quando não se chega ao ato final de DIZER, o nosso inconsciente já se posiciona "contra" e a psicologia do comportamento nos mostra os diversos meios de que o nosso organismo utiliza para fazê-lo.

Muitos conflitos pessoais ocorrem com a surpresa de foco. Explicando melhor: Uma pessoa faz um comentário do tipo: "Você viu, fulano traiu a ciclana" com a intenção clara de passar uma informação recebida, uma mera curiosidade. A pessoa que ouve deveria, neste contexto, responder com algum comentário sobre o fato ocorrido. Algo do tipo "Eu já sabia" ou "Que vergonha". Mas quando a outra pessoa responde com um "Por que? Você também tem intenção de me trair?" isso surpreende, pois o foco foi mudado. Devido à mudança surpreendente de foco, o sujeito não consegue responder com um descontraído "Claro que não, meu bem". A voz enrosca e a resposta será meio dúbia. Nasce então o conflito.

Dependendedo do estágio de evolução pessoal de cada um de nós, ações "melhorativas" podem ser desencadeadas e para isso a ciência disponibiliza uma série de ambientes, formas e técnicas para levar o indivíduo "errado" transformando-o no indivíduo "certo".

A ação de "morder só por que pisaram no rabo" é uma ação, ou melhor, é uma reação primitiva e só tolerada em indivíduos rudes, primitivos e incultos.

O ser racional conduz com racionalidade a ação "corretiva" ou "evolutiva" ou "educativa" de forma que o indivíduo "errado" possa ser conduzido a partir de uma situação "errada" para outra situação mais evoluída que consideramos "certa". Note que tive o cuidado de cercar os conceitos com aspas pela generalidade de suas definições. Acredito que todos possam compreender a essência do que estou querendo transmitir.

Dentro ainda dessa generalidade com que estou amadoristicamente tentando tratar o assunto, é possível a gente visualizar algumas AÇÕES ou melhor alguns TIPOS DE AÇÕES.

3a PARTE - TIPOS DE AÇÕES CORRETIVAS:

TREINO

FOCO NO SUJEITO
Canguru_01.gif (24697 bytes)

Entendo como TREINO o ato de treinar, de adestrar, de ensaiar, de praticar e de exercitar. Este ato está focado diretamente sobre o SUJEITO.

Eu não sei nadar. Ora pode ter diversas formas de se ensinar porém uma coisa é absolutamente certa: terei que entrar na água. Não existe aquela situação em que "eu fiz um belíssimo curso com pós-gradução, MBA e tudo o mais, tudo teórico, e agora considero-me um EXPERT em natação, sem nunca ter entrado na água".

Existem, é claro, diversos instrumentos para a realização do TREINO que são o treinamento, ensaio, exercício, dinâmicas.

CURSO

FOCO NA AÇÃO
Casa_099.gif (7862 bytes)

Entendo como CURSO o ato de lecionar, de educar, de formar, de aprender. Este ato está focado diretamente sobre a AÇÃO.

Quero "escrever". Mas escrever o que? Uma carta, um romance? Não importa o objeto. Quero dominar a ação de escrever.

Existem, é claro, diversos instrumentos para a realização do CURSO que são as aulas, escolas.

DEBATE

FOCO NO OBJETO
Casa_223.gif (4260 bytes)

Entendo como DEBATE o ato de discutir, de dialogar, de apresentar teses e antíteses. Este ato está focado diretamente sobre o OBJETO.

Na questão da redução da maioridade penal segmentos diferentes da sociedade têm suas visões próprias. Vamos promover uma encontro dos especialistas, cada um representando um segmento, para debater o tema.

Existem, é claro, diversos instrumentos para a realização do DEBATE como o Seminário, o Painel, o Simpósio, a Conferência e o Congresso.

 

 

4a PARTE - CURIOSIDADE SOBRE O PETS:

Curiosidade (por favor não me crucifiquem por isso, pois sei que o tema é polêmico): Na estrutura de treinamentos do Rotary é comum encontrarmos Seminários de Treinamentos. O PETS é um seminário de treinamento. Vejo uma contradição nisso, pois entendo como seminário o encontro de especialistas, isto é, pessos que dominam determinado assunto. O presidente eleito não tem experiência ainda no cargo. O foco é o cargo. Um seminário aceitável seria um Seminário de Presidentes Saintes. O Presidente Sainte sim já passou pela experiência e tem um monte de opiniões e pontos de vista sobre o foco CARGO para trocar com os outros Presidentes Saintes.

NOTA: Presidente Sainte é um termo que inventei para caracterizar aquele que está em pleno gozo do cargo porém nos meses finais da gestão.

O Presidente Eleito ainda não tem habilidade no cargo. Então ele precisa ser treinado. O foco é o SUJEITO. Então desenvolvemos um Treinamento para exercitar, para praticar.

O conceito de Seminário de Treinamento surge quando reunimos diversos Presidentes Saintes JUNTO com diversos Presidentes Eleitos. Então é feita uma série de depoimentos pessoais sobre as surpresas, os sobressaltos, etc. do cargo (o foco é o cargo) pelos Presidentes Saintes. Essa parte tem a estrutura de um Seminário.

Na segunda etapa vem o Treinamento com toda a sua estrutura de práticas pois o "choque será inevitável" então, instrutores habilitados desenvolvem, com a aplicação de técnicas didáticas e pedagógicas, dinâmicas para exercitar os Presidentes Eleitos nesse cargo. Os Presidentes Eleitos ensaiam as suas atuações coreográficas. Treinam, então, uma série de "saídas" legais, regimentais, estratégicas, políticas ou articuladas para conduzir com razoável maestria dos desígnios do cargo, como um autêntico LIDER.

O Manual de Procedimento (pág. 36) recomenda que "Deve ser dada preferência a rotarianos com experiência na área de treinamento, educação ou facilitação de reuniões" para membro da Comissão Distrital de Treinamento, uma das comissões obrigatórias introduzidas pelo PLD em 1997.

 

 

Veja mais sobre Capacitação em Liderança em:
Gato_42.gif (19003 bytes)
Veja mais sobre o processo de aprendizado em:
Pato_04.gif (9403 bytes)

 

Esta é uma página pessoal que contém uma opinião essencialmente pessoal a cerca do tema Saber Enfocar para não Perde o Foco.
As opiniões são, no fundo, "provocações" feitas aos nobres companheiros rotarianos e são baseadas em contatos, estudos e experiências pessoais e vale-se da liberdade proprocionada pela WEB. Ninguém é obrigado a aceitar, nem se pretende afirmar que as opiniões aqui colocadas sejam verdadeiras. Agora, se você gostou, pode imprimir, copiar e divulgar à vontade
Roberto Massaru Watanabe
membro do Rotary Club de São Paulo - Tatuapé - EMAIL:
robertowatanabe@rotary4430.org.br. Watanabe é engenheiro e como tal participou do projeto das grandes obras da engenharia nacional como a Rodovia dos Imigrantes e as hidrelétricas de Ilha Solteira, Itaipú e Tucurui. Nesses empreendimentos, adquiriu muita prática na organização e condução de grandes equipes.

RMW\GEROI\foco.htm em 11/03/2007, atualizado em 22/05/2009 .

 

 

 

 

 

 

 

 

    RMW-1581-27/08/2014